quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

para Lúcia, com atraso


Nunca fui muito de jogar em coletividade, deve ser a tal preguiça de competição, aliada a falta de talento nato - essa última que deve ter despertado a primeira, na bem da verdade.

Marinete acaba de sair de casa e minha bancada está limpa, também tenho preguiça de fazer limpeza, mas acho que pra essa nunca precisei de talento, só vontade mesmo.

Lúcia mandou email com instruções específicas.
Na bancada recém limpa, sem nenhuma cinza dos companheiros queimados, só está um livro. Na página 161, quinta frase diz:

"Elas carregam o peso da experiência, do sofrimento, da morte."

Pierre Assouline falava sobre as fotos de Bresson em "O olhar do século", mas podia muito bem estar falando dos últimos acontecimentos de meu mês, se algo nele é de fato meu.

Lúcia tem essa coisa de saber fazer ser. E assim me fui, mesmo com atraso.

9 comentários:

lúcia carolina disse...

O peso avança sobre como um inimigo. Então, depois de um tempo pode muito bem ser dominado, despedaçado em levíssimas partes. Ou expulso do céu sobre quem pesou.

Claro, não é para qualquer um, mas para o Leo Caobelli é quase pouco.

Se nada no mês de alguém como o autor de narrativas e episódios de vida como os teus, além de conversas fantásticas e apoteoses de risos e inteligência, se nada no mês foi teu, questão de ter uma ou duas semanas para compreender porque foi assim e fazer o que quiser do período. Conto ou destruir ou seu pior inimigo ou vitima ou espelho.

O ódio pode ser o melhor de nós, Leotrec. E foi o Drummond quem disse isto: "Meu ódio é o melhor de mim. Com ele me salvo e dou a poucos uma esperança mínima".

lúcia carolina disse...

Este brinquedo que a Carmem mandou é bom, pq tu sabe o que alguns estão lendo e como outros escrevem. O Pierre Assouline, por exemplo, é descritivo, mas envolvidíssimo com a cena. E como anda a escrivaninha de cada um, hahaha.

(Tu ia gostar do Animal Tropical, que estou lendo ! Procura !)

lúcia carolina disse...

Bah, tu não sabe como eu te entendo sobre não ser competitivo, não ter esta tendência nata.

Pior, eu gosto por ex de esportes. Quantas vezes joguei vôlei extasiada de alegria por jogar e a maioria dos meus companheiros de time perdiam tempo pensando em como a partida terminaria, se venceríamos ... mas tem gente boba neste mundo, né, Leotrec, como gostam de perder tempo pensando no menos importante.

E o mais importante é tão simples, é o momento. Porque se adiantam, tanta gente tensa com o que vem depois ?! Parece criança gorda que mal engoliu um chocolate já esta de olho noutro doce.

Outra coisa que lido com dificuldade é a coletividade, sempre penso nela e de tanto pensar, me sinto de fora.

lúcia carolina disse...

Que bom ver o Sobrou 'caminhano'. Imagino que não te sobra tempo. E imagina que isto faz falta para uma porção de gente que gosta de te ler.

Ah, quem é a garotinha da foto?

milu leite disse...

como é que eu não entrei neste blog antes?
rolei (bem a calhar) de rir com o post do diálogo no MSN.

Anônimo disse...

Saudade de vc e do que sobrava... dos textos do tempo e da amizade.
Sobrava e a sobra multiplicava. o desperdício é a escassez.

Lina disse...

Muita saudade de te ler.
bjos, Lina

. disse...

gostei.

(não sei dizer muito sobre textos. sinto e só. nada muito original... contemporâneo só no dito, eu nem isto...)

Carlota Braga disse...

pra começar, eu não sei quem é você, nem de onde veio.
sei que, depois de umas ''googladas'' cheguei a este endereço e me deleitei com seus escritos numa tacada só, como uma criança faminta que mergulha a cabeça num copo de leite.
a coisa que eu mais admiro nessa vida são ''artistas de palavras''. gente assim como você que pinta e borda com elas e as transforma em obra prima.
de tudo o mais de lindo que eu vi por aqui, achei um pedaço escondido que fala de Drummond, e de como ele te ensinou a ser gauche.
eu tenho essa palavra tatuada no braço esquerdo, e sempre que me perguntam o que significa, eu digo: esquerdo!
em seguida, sempre vem uma expressão de ''ahnn..''
no fundo eu não gosto de ter que responder pq sei que ninguem vai entender mesmo.
em compensação, vc nao perguntou nada e entendeu completamente!

foi um prazer