quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

para Lúcia, com atraso


Nunca fui muito de jogar em coletividade, deve ser a tal preguiça de competição, aliada a falta de talento nato - essa última que deve ter despertado a primeira, na bem da verdade.

Marinete acaba de sair de casa e minha bancada está limpa, também tenho preguiça de fazer limpeza, mas acho que pra essa nunca precisei de talento, só vontade mesmo.

Lúcia mandou email com instruções específicas.
Na bancada recém limpa, sem nenhuma cinza dos companheiros queimados, só está um livro. Na página 161, quinta frase diz:

"Elas carregam o peso da experiência, do sofrimento, da morte."

Pierre Assouline falava sobre as fotos de Bresson em "O olhar do século", mas podia muito bem estar falando dos últimos acontecimentos de meu mês, se algo nele é de fato meu.

Lúcia tem essa coisa de saber fazer ser. E assim me fui, mesmo com atraso.