quarta-feira, 26 de novembro de 2008



Conversa de MSN.

Leo
10:00
velho, a faxineira aqui de casa passa o dia assobiando e cantando...
quero a morte!

rodrigo marcondes
10:00
hahahah
bom humor eh algo ofensivo demais, ne?

Leo
10:00
putz... bom humor de cú é rola às 10 da manhã, né?
aliás, ouvi uma frase segunda na padoca, de 3 motoboys... fantástica

rodrigo marcondes
10:01
manda

Leo
10:01
"não se esquenta cú com rola fina"

rodrigo marcondes
10:01
hahahahahahahah

Leo
10:01
só a sabedoria em duas rodas é capaz de tamanha poesia

rodrigo marcondes
10:02
motoboy: fonte inesgotavel do saber

5 comentários:

Henrique Manreza disse...

E o Sobrou não morreu :)

Leo Caobelli disse...

morreu não , tio! hehehehehe
Prometo um diálogo por semana agora.

lúcia carolina disse...

monsieur Leotrec, pra te estimular a voltar pro Sobrou

(voltar pro Sobrou ... estranho, né?)

uma brincadeira pra ti, no meu blog,

http://eleganciaereserva.blogspot.com/2009_02_01_archive.html

Lina disse...

São os melhores diálogos. Insisto. Conversas que só o Leo tem por vc.

Cyclingchannel123 disse...

Caobeli,
Boa noite! Tentei contactá-lo pelo cifraclub, pelo email q tem lá, mas não deu e acho que esse é um blog seu pelo fato de ter escrito fotografo no cifraclub
Navegando na net em busca de informações acerca de MM fabricado por luthier, encontrei um tópico no cifraclub em que você dizia que tinha adquirido um. E você falava que tinha aquele shape redondo do de 5 cordas, mas era um instrumento de 4 cordas. Acho que o que você fez é justamente o que quero fazer... Será que você não teria nenhuma foto para mostrar como ficou não?
Você fez algum tópico em algum fórum, ou vídeo no youtube detalhando ou falando desse instrumento? Você poderia me falar quem foi o luthier e me dar uma ideia de orçamento? Ficou bem feito: encaixes, cavidade dos captadores, ângulos, peso?

Se fosse fazer um MM hoje em dia com luthier, recomendaria alguma coisa (cap, madeira, circuito, etc) ou daria algum conselho??

Desde já agradeço pela atenção e por compartilhar experiências,
Att,
Érico