quinta-feira, 3 de maio de 2007

Renato, o rei do gado!

Renato: - A não Leo, essa luz de cemitério, tem certeza?
Leo: - Vai por mim, a foto tá ótima!

Renato: - Sei não, acho que vou parecer assassino nessa foto...
Leo: - Pô, mas tu não é açogueiro?

Renato: - Mas nem sou eu que mato o boi! E tem mais, essa máquina aí da frente, essa com a engrenagem, não pode aparecer porque é de fazer lingüiça...
Leo: - Tu faz lingüiça de quê, de cachorro?

Renato: - Cê ri, mas tem quem faça de cachorro mesmo.
Leo: - Eu sei, sou gaúcho, lá tem um caso famoso de lingüiça de cachorro.

Renato: - Ô Leo, com a faca pra cima assim... muito mórbido.
Leo: - É que eu quero usar as fotos pra uma campanha contra as carnes


silêncio... silêncio... risos.


Renato: - Nunca ví gaúcho vegetariano, tchê!


Renato e sua ginsu, dupla de sucesso

Um comentário:

lúcia carolina disse...

O ofício de Renato é tão antigo quanto o homem.

E os caçadores sempre foram os mais valentes, desde os primeiros homens.

Aliás, só sobreviveram aqueles que souberam se alimentar.

Renato não tem porque se preocupar, não esta parecendo assassino na foto. Parece um guerreiro contemporâneo.

Leotrec é bom diretor, seus personagens seguem além da sua pretensão inicial de criador, narrador e construtor de imagens.

Para mim, não vegetaria certa da importância vital da proteína animal na alimentação e certa que, se fosse o caso, os bonivos não sentiriam compaixão em nos matar e comer, Renato esta com cara de guerreiro, de sábio artesão de ofício antigo e fundamental.

Eu faria do pedaço a esquerda um belo de um assado.