domingo, 29 de abril de 2007

Audrey

Nas últimas horas do final de semana do meu "adversário" (27°!), sobrou tempo para me reapaixonar pela Audrey Tautou... Tenho quase total certeza de que o som é Red House Painters, mas não me sobrou tempo para checar o palpite. Linda francesinha que fez péssimas escolhas de papel na carreira, mas parece ter dado outro tiro certeiro.

Aliás, preciso aprender como colocar o vídeo direto aqui, alguém ajuda?

Obs: se o vídeo estiver no ar, culpa do Mairena!

sábado, 28 de abril de 2007

Mas o que sobrou?

Depois de inúmeras tentativas de criar algo que eu pudesse realmente identificar como meu, não pelo pertencimento material, mas pessoal - resolvi criar este espaço para dar vasão ao que me sobra.
As sobras são essenciais ao fundamento pessoal, penso. Não se engane pensando em migalhas, mas em tudo que parece não ter lugar e, por isso, sobra.
Do estrangeirismo de Camus à cegueira de Saramago, sempre existe algo que sobra e que, em toda minha reticência, volta a frase da Camille Claudel "Il ya toujours quelque choise d´absent qui ma torment" - existe sempre algo de ausente que me atormenta. O ausente sobra, o presente também.
A foto lá de cima, do cabeçalho do blog é uma representação visual do que um dia vi a ser São Paulo (isso, vi a ser e não vim a ser.. não foi um erro de datilografia, ao menos não dessa vez).
Essa cidade que tem sobras por todos os lados e que agora verá as minhas, sejam estas sobras fotográficas de pautas, ou conversas que sobraram por não ter com quem debater, ou menos por sobra de tempo.
O que sobrar se fará notar.
Lembrando sempre a velha máxima que um dia inventei num guardanapo de bar:
"É teu lixo que aduba,
meu mundo que floresta"

E neste dia de cumpleaños, quantos mais será que ainda me sobram?